Quem decidimos ser

Faz um tempo que não escrevo, não porque não tive vontade ou temas que gostaria de compartilhar, mas porque acho importante aprender também. Ler com os que vieram antes de nós, refletir sobre o que pensamos; mesmo porque de nada adianta sair por ai dizendo o que pensa sem embasamento ou pelo menos saber do que se está falando.

Não é por medo de errar, acredito que isso faz parte do processo de aprendizado. Hoje temos muitas informações disponíveis mas, poucas delas se tornam conhecimento de fato. Lemos muita opiniões sem fundamento, é dito muito o que o outro deve fazer mas temos poucos exemplos a seguir (àqueles raros que vivem o que pregam sabe?!).

A um tempo atrás (não sei precisar exatamente quando), vi a declaração de uma “famosa” que disse que não era feminista porque ela adorava elogiar e exaltar seu homem.

É tão triste ver esse tipo de declaração, principalmente quando vem de alguém que tem tanto acesso à mídia. São declarações e opiniões como essa que chegam a maior parte da população, deturpando o que de fato é o feminismo.

O feminismo nada tem haver com denegrir ou diminuir os homens e sim com o direito, liberdade e reconhecimento das mulheres, como seres humanos; para que sejamos respeitadas e livres para sermos aquilo que desejarmos.

Essa luta iniciou com as mulheres, mas é também dos homens. A nossa sociedade é bastante machista, isso é um fato, denigre, restringe e diminui as mulheres. Principalmente, àquelas que não seguem o padrão. Mas é também bastante opressiva e frustante para os homens.

Assim como as mulheres, na sua grande maioria, são ensinadas e muitas vezes condicionadas a se calar, saber seu lugar, tomar cuidado ao sentar e com as roupas que se usa, os homens são ensinados a serem “fortes” e na maior parte das vezes significa ser um completo idiota, agredindo e humilhando os outros. Já vi muitos homens se comportarem dessa forma, mesmo sem acreditar nisso, apenas para agradar ou manter sua imagem.

Homens não choram, ou seja, não demonstram seu sentimentos, isso é fraqueza; sua masculinidade é posta em questionamento quando se é muito sensível. Eles também devem estar sempre dispostos a fazer sexo, pelo menos é isso que prega, não há espaço para o querer. E aí daquele que falhar!

Eu acredito que a união e o complemento, entre homens e mulheres é que fará com que o feminismo não precise mais existir e se torne algo do ser humano. Repeito, dignidade, competência, empatia, inteligência são atributos que independem de gênero, então porque continuamos travando essa luta sem sentido? Qual o sentido de subjugar o outro pelo seu gênero? Poder?? Ego?? Seja qual for a resposta a essa pergunta, não fará o menor sentido, se nos esforçarmos e nos imaginarmos no lugar do outro.

Li hoje em uma revista a entrevista de uma atriz conhecida, que quando questionada sobre ser feminista sua resposta foi que sim, se for no sentido de direitos iguais, mas não em relação aos extremismos. Sinceramente ainda me confundo com essas respostas, pois, nada que fica nos extremos normalmente é bom ou duradouro. Porque parece vergonhoso ou errado simplesmente responder que sim, sem o “mas”?

Há pessoas que não gostam do termo feminismo e sugerem humanismo, visto que, é uma luta do ser humano, no entanto, humanismo se refere à valorização do pensamento e da produção humana, em oposição à ideia de um ser sobrenatural que comanda o mundo. [1]

Sugiro uma leitura da reportagem da Carta Capital, onde muitas dessas dúvidas são esclarecidas.[1]

Ao longo da minha jornada, encontrei homens imbecis (a grande maioria), mas também homens esclarecidos e corajosos o bastante para se impor diante das pequenas e corriqueiras situações de preconceito, opressão e humilhação a que somos expostos todos os dias. Se você ainda acha que isso não acontece ao seu redor, sinto lhe informar que, você vive em uma bolha ou então escolheu olhar para o outro lado quando isso acontece.

Sei que será uma luta para toda vida, e talvez a minha não seja suficientemente longa para que eu veja grandes e duradouras mudanças, mas prefiro passar minha existência vivendo e lutando por aquilo que acredito ser importante à covardia de desistir e me iludir dizendo que sozinha não faço diferença; se você muda tudo ao seu redor muda. Só há duas opções levantar a cabeça e lutar ou desistir e se calar.

[1] https://www.cartacapital.com.br/sociedade/o-que-e-feminismo-2198.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s